Regras do Boxe

São considerados profissionais todos os Boxeadores que tenham competido por prêmios em dinheiro.
– AFBOEMS, Federações ou Ligas, somente deverão conceder licença de Boxeador profissional ao amador que tiver obtido dez vitórias em sua campanha amadorística e não esteja servindo a Seleção Brasileira de Boxe Amador, no calendário de competições internacionais e que tenha no mínimo 18(dezoito) anos completos.

O RINGUE
– O tamanho mínimo permitido para o ringue será de 4,90m e o tamanho máximo de 7,00m em cada um dos quatro lados do ringue, medidos do interior da linha das cordas.

O ringue não estará a menos de 91cm ou mais que 1,22m acima do nível do chão ou base.

– A plataforma será construída com total segurança e totalmente nivelada, estendendo-se essa plataforma 60cm além da linha das cordas.

Parágrafo único – A plataforma será demarcada por quatro postes em seus quatro cantos, os quais serão revestidos com material macio para evitar ferimento aos Boxeadores. No canto do lado esquerdo mais próximo da mesa diretora, a cor do poste será vermelha. No canto do lado esquerdo mais afastado, cor branca. No canto do lado direito mais afastado, cor azul.

No canto do lado direito mais próximo, cor branca.
– Existirão quatro cordas de um diâmetro de 3 cm no mínimo e 5 cm no máximo, ajustadas nos postes à 41 cm, 71 cm, 102 cm e 132 cm de altura.

As cordas serão cobertas por um material macio e elástico. As cordas serão atadas em cada lado a intervalos iguais, por dois tirantes de 3 a 4 cm de largura. Os pedaços não devem estender-se ao longo das cordas.

– O ringue será provido de três escadas. Duas escadas em cantos opostos (vermelho e azul) para uso dos Boxeadores e seus assistentes e uma escada no canto neutro ao lado da mesa diretora para uso do Árbitro e Médico.
– Toda a plataforma onde se realizam os combates de Boxe, inclusive a sua parte externa, será revestida com EVA, feltro, borracha ou outro material compatível, com no mínimo 1,3 cm e no máximo de 1,9 cm de espessura sobre o qual uma lona será estendida e presa.
Parágrafo único – O Diretor Técnico realizará a vistoria e aprovará, antes da realização dos combates de Boxe, o piso da plataforma do Ringue.

DURAÇÃO DOS COMBATES
– As duas primeiras lutas, com duração máxima de 6 assaltos.
– A partir da terceira luta poderão tomar parte em com bates com duração de 04, 06, 08 ou 10 assaltos.

EQUIPAMENTOS DE RINGUE
– Antes da Realização dos combates de Boxe deverão estar disponíveis os seguintes equipamentos de ringue:
a) Dois recipientes contendo breu para a lona;
b) Duas banquetas de descanso para os Boxeadores usarem durante os intervalos;
c) Dois baldes, para que a água usada pelos ―segundos‖ nos Boxeadores não venha cair no ringue ou fora dele;
d) Duas garrafas plásticas de água potável e duas garrafas plásticas de água tipo spray;
e) Mesas e cadeiras para os dirigentes e juízes;
f) Gongo ou campainha;
g) Dois cronômetros;
h) Um estojo de primeiros socorros;
i) Um microfone conectado ao sistema de som do recinto;
j) Dois pares de luvas sobressalentes;
k) Dois sacos plásticos nos cantos neutros, por fora das cordas, um de cada lado, para o Árbitro ou o Médico colocar gaze ou algodão utilizados por eles;
l) Um rodo de borracha e um pano absorvente;
m) Um colete cervical;
n) Um tubo de oxigênio portátil;
o) Maca.

LUVAS
– As luvas serão fornecidas pelos organizadores e promotores do evento.
– As luvas deverão ser aprovadas pelo Departamento Técnico da FBOEMS e estar em bom estado de conservação.
– As luvas para disputa de Título Brasileiro obrigatoriamente terão que ser novas e apresentadas no congresso técnico.
– Ao Boxeador não será permitido utilizar luvas próprias.
– As luvas serão de:
a) 8 onças (227 gramas) até a categoria Meio Médio (66,678 Kg.)
b) 10 onças (284gramas), para as demais categorias.
– A parte de pelica não deve pesar mais que a metade do peso total da luva, e a parte acolchoada não menos que a metade do peso total da luva.
– Os cordões devem ser atados à altura do pulso das luvas sempre cobertos com fita adesiva ou com sistema de velcro. O dedo polegar deverá estar preso junto ao corpo da luva.
– As luvas deverão ser calçadas no ringue
Parágrafo único – As luvas poderão ser calçadas no camarim ou locais preparados para essa formalidade, onde os dois Boxeadores ficarão sob fiscalização
permanente de autoridades para isso designadas e pelos ―segundos‖ ou fiscais dos Boxeadores contendores, até adentrarem no ringue, quando a fiscalização passará a ser exercida pelo Árbitro.

BANDAGENS
– As bandagens devem contribuir para a proteção das mãos e não para causar dano ao Boxeador.
– Devem ser usadas bandagens cirúrgicas com no máximo 5 metros de comprimento e 5 centímetros de largura, ou um ―velpeau‖ de no máximo 5 metros em cada mão.
Parágrafo único: Nenhum outro tipo de bandagem poderá ser utilizada.
– Somente pode ser utilizada cinta branca adesiva ou esparadrapo com a largura de 2,5 centímetros e com o comprimento de 2,5 metros em cada mão. O esparadrapo deverá ser usado unicamente sobre a bandagem, não podendo ser colocado a uma distância menor que 1 centímetro das articulações das falanges com os metacarpos.
– É proibido aplicar nas mãos, líquidos, pós e outras substâncias de qualquer classe, seja antes ou depois de colocar as luvas.
– As bandagens serão colocadas no camarim, sob a fiscalização de fiscais indicados pela FBOEMS, Federação ou Liga.
Parágrafo primeiro: Os fiscais certificarão que as bandagens colocadas obedeceram todas as regras regulamentares e em seguida rubricarão a s bandagens.
Parágrafo segundo: Não estando as bandagens de acordo com as regras regulamentares, os fiscais exigirão imediatamente suas substituições tantas vezes quantas sejam necessárias para que se cumpra a norma regulamentar.

VESTUÁRIO
– Os Boxeadores deverão estar vestidos de acordo com as seguintes normas:
a) Calções com comprimento mínimo até a metade da coxa;
b) A linha da cintura deve estar claramente indicada por uma cor distinta no calção. Essa linha é imaginária e passa pelo umbigo e alto dos quadris;
c) Sapatilhas ou sapatos leves, sem cravos, sem saltos, e com meias.
d) Protetor Bucal: deverá possuir formato apropriado, de maneira que proteja a arcada dentária.
e) Protetor Genital: coquilha – é permitido uma faixa adicional para sustentar a coquilha.
– O Árbitro deverá impedir o Boxeador de competirse não estiver com a coquilha, protetor bucal, limpo e uniformizado.
Parágrafo único: Se durante o combate houver danos ao seu vestuário, o Árbitro interromperá o combate determinando sua substituição. O tempo máximo para reparar algum dano no vestuário que impeça a continuidade do combate é de 5 minutos.

CLASSIFICAÇÃO DOS COMBATES
– A duração dos combates entre profissional serão de 4 a 10 assaltos de 3 minutos, com um minuto de intervalo entre eles:
Parágrafo primeiro: As disputas de título brasileiro serão em 10 rounds. Caso o combate pelo título brasileiro também tenha validade por algum cinturão internacional disputado em 12 rounds, a FBOEMS poderá autorizar a disputa em 12 rounds.
– Os espetáculos de Boxe Profissional deverão incluir lutas preliminares.
– As lutas preliminares poderão ser substituídas por lutas entre amadores.
– É da exclusiva competência da FBOEMS, Federação ou Liga a escalação dos combates entre amadores que participarão do programa.

DIRETOR TÉCNICO
O Diretor Técnico, como representante do Presidente da FBOEMS, é a autoridade máxima no local.
Cabe ao Diretor Técnico, entender-se com quaisquer autoridades constituídas, bem como com qualquer órgão da imprensa e empresários, a fim de solucionar problemas por ventura surgidos.

PESAGEM
A pesagem dos Boxeadores é obrigatória.
Parágrafo único – Será feita a corpo nu ou com uma sunga, em balança aferida, em local e hora designados pela FBOEMS, Federação ou Liga.
– Os Segundos terão o direito de acompanhar a pesagem de seu Boxeador e adversários.
Parágrafo único – Os segundos não podem tocar na balança e não terão o direito de exigir confirmação da pesagem efetuada oficialmente pelo Diretor Técnico.
– O Diretor Técnico fixará um horário de pesagem no dia anterior ao combate onde se observará um período de duas horas entre o inicio e o termino da pesagem.
Parágrafo único – Dentro deste período o Boxeador terá direito a voltar à balança quantas vezes forem necessárias, para permitir a verificação de que se encontra absolutamente dentro dos limites de peso de sua categoria.
– Não será permitida a realização de combates cuja diferença de peso exceda à que ocorre entre os limites mínimos e máximos da categoria em que se encontre o boxeador de peso menor.
– É proibido o ―handicap‖ de luvas, usado para compensar diferenças de categoria ou peso dos boxeadores.
– Em se tratando de título:
a) Se o campeão se enquadrar na categoria e o desafiante não, caso realizem o combate e o desafiante vença, o título continuará de posse do campeão;
b) Se o campeão não se enquadrar e o desafiante sim, caso não realizem o combate ou se realizarem e o campeão vencer, o título ficará vago. Caso o desafiante vença, será o novo campeão;
c) Se os dois Boxeadores não se enquadrarem no peso, o título ficará vago;

CATEGORIAS DE PESO
A categoria de um Boxeador é determinada por seu peso corporal:

 

JUÍZES
– Cada combate será julgado por três Juízes, que sentarão à borda do ringue e um de cada lado.
– Os Juízes vestirão terno de cor escura, preferencialmente azul marinho, com o distintivo da FBOEMS, camisa azul clara, gravata e sapatos pretos.
– Os Juízes não abandonarão suas cadeiras, até que seja anunciado o veredicto ao público.
– As papeletas dos Juízes devem ser assinadas, preenchidas à tinta, de forma legível e sem rasuras. Os pontos devem ser anotados ao final de cada assalto.
Parágrafo único – Na disputa de Título Brasileiro o Árbitro recolherá as papeletas no final de cada assalto entregando-as ao Diretor Técnico ou Supervisor do Combate que fará a consolidação dos pontos para o resultado final.
– O Julgamento do assalto para a marcação dos pontos se fará considerando os seguintes conceitos:
a) Agressividade eficiente com um peso de 70% na avaliação;
Parágrafo único – Entende-se por agressividade eficiente a colocação de golpes legais com potência, quantidade e precisão na região do corpo tal como definido na alínea ―d‖deste artigo.
b) Domínio de ringue com um peso de 20%; Entende-se por domínio de ringue a aplicação de técnicas válidas de combate na qual o adversário não imponha seu estilo de combate;
c) Agressividade pura com um peso de 10%; Entende-se como agressividade pura o jogo do Boxeador indo constantemente para frente tentando impor-se contra o adversário.
d) Golpes Corretos: com a parte frontal da luva fechada atingindo as faces anteriores ou laterais da cabeça ou corpo, acima da linha da cintura, aproveitando o peso do ombro ou do corpo, sem que o oponente desvie ou bloqueie parcialmente;
e) O juiz deve levar em consideração a potência, a quantidade, a precisão e a qualidade dos golpes aplicados.
f) Serão atribuídos um ou dois pontos ao Boxeador que provoque a queda de seu adversário, considerando a pontuação anterior à queda;
g) Os Juízes outorgarão ao final de cada assalto, dez pontos ao vencedor do mesmo, e ao seu adversário um número de pontos proporcional à sua atuação. Em caso de empate o juiz assinalará dez pontos a cada um dos Boxeadores;
h) Resultados dos assaltos:
10 x 10 – Assalto empatado
10 x 9 – Leve vantagem ou clara vantagem
10 x 8 – Leve vantagem ou clara vantagem e uma queda
0 x 8 – Superioridade marcante
10 x 8 – Assalto equilibrado e uma queda
10 x 7 – Superioridade marcante e uma queda
10 x 7 – Duas quedas

i) O resultado máximo por pontos em um assalto é 10 x 7.
– O desconto de pontos se dará depois de somar os pontos no final da luta.
– O vencedor será quem tiver a maioria dos votos, independente dos pontos.
– Quando houver uma disputa de título que esteja vago, o resultado da luta não poderá ser empate.
– Em uma luta válida por título se o resultado for empate, o campeão manterá o título.

DECISÕES
– Vitória por Pontos (PP) Será declarado vencedor por pontos:
a) O Boxeador que obtiver a decisão da maioria dos Juízes;
b) Quando houver um duplo ―KO‖;
c) Quando houver lesões nos dois Boxeadores;
d) A partir do 4º assalto, quando a interrupção da luta for por problemas alheios aos Boxeadores ou lesão por falta, agravada durante a luta;
e) Quando o gongo soar, interrompendo uma contagem protetora, no último assalto.
– Vitória por Abandono (AB)
Será declarado vencedor por abandono:
Quando o adversário desistir voluntariamente durante o combate, mesmo em condições de lutar.
– Vitória por Nocaute Técnico (KOT)
Será declarado vence dor por nocaute técnico:
a) Quando o adversário estiver recebendo um castigo excessivo, não demonstrando reação;
b) Quando o adversário sofrer uma lesão por golpe correto, que na opinião do Árbitro ou do médico não possa continuar combatendo;
c) Quando o adversário sofrer uma lesão, mesmo não provocada por golpe, impedindo-o de prosseguir lutando.
d) Após uma contagem protetora de 8 segundos, o adversário não tenha condições de continuar combatendo;
e) Quando o Segundo arremessar a toalha no ringue durante o assalto;
f) Quando não voltar para o assalto seguinte por falta de condições de lutar,
– Vitória por Nocaute Técnico por Corte (KOT-C)
Será declarado vencedor por nocaute técnico por corte, quando o adversário sofrer um corte que o impeça de lutar, provocado por golpe correto.
– Vitória por Nocaute (KO)
a) Quando a contagem chegar a 10 e o Boxeador não tenham condições de prosseguir no combate;
b) Quando o Árbitro dispensar a contagem em virtude de o Boxeador necessitar de cuidados urgentes.
– Vitória por Desclassificação (DESC.)
a) No terceiro desconto de pontos;
b) O Árbitro poderá desclassificar um Boxeador a qualquer momento, dependendo da gravidade da falta;
– Sem Decisão (SD)
O combate será sem decisão se o Árbitro desclassificar os dois Boxeadores.
– Empate (EMP.)
a) 2 Juízes optarem pelo empate
b) 1 juiz optar por empate, 1 juiz optar para um Boxeador e o outro juiz para o outro Boxeador.
– Empate Técnico (ET)
Quando o combate for interrompido até o terceiro assalto por lesão or golpe faltoso acidental ou problemas alheios aos Boxeadores

BOXE FEMININO
– Todas as regras definidas neste regulamento aplicam-se também ao Boxe Feminino, exceto as exceções contidas neste capítulo.
– As Boxeadoras usarão obrigatoriamente top, shorts, protetor bucal, elástico para prender os cabelos e opcionalmente protetor de seios.
Parágrafo único – Nenhum outro tipo de presilha poderá ser utilizado para fixar os cabelos.
– Cada Boxeadora fornecerá em cada competição todas as informações referentes a seu estado físico, e em especial dados referentes à gravidez, firmando os documentos de registros destas informações, sem as quais estará impedida de participar de qualquer competição.
– É proibida a prática do Boxe Feminino para boxeadoras que possuam implantes ou prótese de seios.
– Nos programas que contemplem Boxe Feminino e Masculino, os organizadores reservarão vestiários separados e exclusivos para o Boxe Feminino.
– É proibido com petição entre sexos diferentes.
– Os combates de Boxeadoras profissionais terão duração de 4 (quatro) a 08 (oito) assaltos de 2 (dois) minutos, com um minuto de intervalo entre eles, de acordo com as seguintes características:
a) Preliminar: 4 assaltos
b) Semifinal: 6 assaltos
c) Final: 8 assaltos
d) Título Estadual ou Brasileiro: 8 assaltos
– As duas primeiras lutas não poderão ter duração superior a 4 assaltos.
– As luvas serão de:
a) 8 (oito) onças (227 gramas) até a categoria Pena, 57,153 kg ( 126 libras)
b) 10 (dez) onças (284 gramas) a partir da categoria Sup er Pena 58,967 kg (130 libras).
– A categoria de uma Boxeadora é determinada por seu peso corporal.
Parágrafo único – Fazem parte do Boxe Feminino as categorias abaixo.

 

– A Pesagem de uma Boxeadora será feita com Short, top ou biquíni.
– Em disputas de títulos brasileiros, anunciar os resultados parciais após o 4° round, conforme lhe forem indicados pelo Diretor Técnico.
Parágrafo primeiro – O locutor deverá especificar a contagem e o nome de cada um dos juízes separadamente.
– Em caso de gravidez a Campeã Brasileira em uma categoria reterá o titulo por dois anos a partir da comprovação de sua gravidez e haverá disputa do título interino entre a primeira e segunda colocada do ranking.
Parágrafo primeiro: Após dois anos a Campeã com o titulo retido disputará com a Campeã Interina, ficando a vencedora com o único titulo de Campeã.
Parágrafo segundo: Caso a Campeã do título retido não venha a lutar com a Campeã interina, perderá o titulo para a Campeã Interina.

 

Fontes: Boxe Profissional, Portal São Francisco, Regulamento Boxe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *